Braga, é outra coisa.
Braga é aquela cidade que me acolheu enquanto a outra, onde nasci, me abandonou, tal mãe que não lhe consegue dar de comer.
Braga é a cidade onde eu conheci o Inverno e julguei que morria por tão quente ser o dia-a-dia na ilha verde do meu coração.
Braga é a cidade onde as Tílias exalam das suas flores um perfume que me faz lá ir só para as namorar.
Braga é a cidade onde “bou” e “bento” tem este som espectacular!
Braga entra no peito de cada um de nós com a certeza de que seremos gentis com aqueles que vêm por bem.
Braga é a cidade que aqui partilho.
CRISTINA BRANDÃO LAVENDER (Nicha)
All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove