espelho bio

Foto de Isabel Costa Pinto – (Bió)

Olhei para o relógio do telemóvel e vi a hora, o dia, o ano. As verdades gritadas ao espelho mentiram-me. Atei as mãos à cabeça. No desespero, ajoelhei-me na relva ainda molhada, ajoelhei-me à vida, ajoelhei-me a vós e, em súplica, vi-me de face virada ao céu. O nosso ontem, o nosso hoje, o nosso amanhã, o VIVER, pertence-me-te: TODO.
Cristina Brandão Lavender

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove