Isabel liberdade

Foto de Isabel Costa Pinto

Custa muito? vermos uma classe política gananciosa, arrogante, mentirosa e manipuladora que se mantém refastelada à sombra de uma banca que rouba os cidadãos com a governação de políticos sem escrúpulos. Ai pois não.
Custa muito? sentirmo-nos impotentes como europeus, obrigados a votar contra a nossa vontade, quando nos atropelam pelo medo de amanhã não termos o que comer ou os remédios para nos tratar? Ai pois não.
Custa muito? ver desaparecer a solidariedade, a igualdade e a fraternidade porque afinal é cada um por si e deus por todos que é o mesmo que dizer “por ninguém”? Ai pois não.
Custa muito? ver que em Portugal continua a chantagem de políticos criminosos que a raptaram e que enviam pelo mundo pedaços do seu povo, para provar que ainda sobrevive? Ai pois não.

O povo tem memória curta e esquece rapidamente todo o mal que lhe fazem. Aceita pagar para salvar a banca com o dinheiro dos contribuintes. Aceita negociar políticas que aumentam o défice e conduzem a sacrifícios inúteis. Aceita as privatizações que diferenciam ricos e pobres na educação, na saúde e na segurança social. Aceita, enfim, as mentiras dos que continuam a beneficiar com a austeridade e dominam, pelo MEDO, uma população mais idosa, outra mais desfavorecida e outra menos esclarecida.

E, na história, já não é a primeira vez. Sob a capa de europa “democrata” escondeu-se uma europa fascista.
Será que aceita mesmo?

Cristina Brandão Lavender

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove