“envergonhada do mundo
vou tocá-lo, dançá-lo, amá-lo
se sei, o quanto sei
tirar-lhe o preto-e-branco
colher a flor murcha
esperar em ponta dos pés
um óvulo fecundo
parir-te num banco de jardim
com olhos cegos de lume.”

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove