Foto de Isabel Costa Pinto Desespero

foto: Isabel da Costa Pinto

não sei se sou o vazio
nem sei se sou um nada
vi o tempo virar perigo
e a vida ficar parada
dentro deste buraco negro
neste umbral acendrado
sonho nos teus lábios, o beijo
e na pele, o desejo
num espaço
por ti guardado

não sei se sou o vazio
nem sei se sou um nada
estar e não estar
virou castigo
viver
luta sagrada

não sei se sou o vazio
nem sei se sou um nada
estar e não ter sentido
existência torturada
o gelo entrou na ferida
sangra
não sara
sofre calada

Não sei se sou o vazio
não sei se sou um nada
grito uma letra abafada
por este enorme castigo
existo
arrastada

não sei se sou o vazio
nem sei se sou um nada
o tempo parou contigo
espaço de vida cessada
por Deus leva-me do sítio
veste-me, alma triste
liberta-me
deste grito rasgado

Cristina Brandão Lavender

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove