pescador de palavras

pleno de contradições
o poeta transforma-se num poema.

preenche-se de hesitações, imprime à poesia
sentimentos tão fortes
de sentir e de melancolia.

ávido de soluções
o poeta transforma-se num poema.

as batidas mui rápidas do sangue
estádio da emoção gigante
muitas vezes inventada numa formula matemática
elevada ao quadrado em medições morais
cegas que se desencontram de uma solução prática.

possuído pela dor
o poeta transforma-se num poema.

nos anais do transe, do êxtase, da paixão
da mulher, da traição, do amor e da sorte
o poeta
mais o tema da morte
e porque deveras sente
transforma em poesia o ferro em brasa quente.

do corriqueiro e do vulgar
nasce um sentir perverso
de tanto pensar numa verdade que o cega
arranca-se, fere-se
e pr’a não morrer
na palavra pega.

CRISTINA BRANDÃO LAVENDER
All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove