poema-a-duas-maos-pintado

o dia encontra-te de mansinho
pede-te licença para entrar.
entra
abre-me caminho, abre-nos
apagamos o negro do quadro e pinta-se de uma nova cor
o futuro aparece no arco-íris e lembra-te a dor e o amor
escreve, escreve-te e “escrevemo-nos”.
façamos riscos e rabiscos
linhas e entrelinhas:
o traço entre o agora e o futuro
e digo-te, e leio-te, e escrevo-te a alma
encontro-me no sorriso do teu eu
construo uma nova ala por onde te deixo espraiar
para que te encontres com ele, ela e o mundo
a ponte
o elo
o norte e o sul.
a vida entre o quadro negro de uma infância de giz
e o sonho da utopia que se aprende e ensina em um objectivo: feliz.

Cidália Pinto e Cristina Brandão Lavender
Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco,
7 de Março de 2014

Aqui fica Poema escrito, em directo, na apresentação do livro “Saber Esperar” de Cristina Brandão Lavender, na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, com sugestão de tema e imagem pelo público presente: “Professor”
Para todos aqui fica um abraço e viva a alegria de estar vivo e partilhar a escrita e a música.

 

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove