os meus olhos pousaram-te indiferentes
até que os caminhos da casa nos conheceram os passos descalços
até que te quis mais lentamente, avidamente, sem esvaziar de surpresa nossos abraços
muito mais do que um beijo nos lábios

vivo-te num beijo longo que é o prolongo das mãos do meu corpo em teus pedaços
porque te vejo e revejo como estrelas a abrirem-se em janelas de sorrisos e palavras
em que a rotina não entra vazia como um morto
em cada momento, no café da manhã
nos gestos automáticos de mais um dia.

vivo-te. vivo-me num beijo longo que é o prolongo das mãos do meu corpo
nas letras trocadas a formarem palavras incríveis de gestos
onde sem persianas no olhar dou gritos surdos por ti
vivo-me em ti
não me digas adeus para me deixares aqui
não esvazies de beleza nossos enlaces
vem comigo
vens em mim desde o primeiro momento
vens em mim no desejo cheio,
vens em mim num silêncio sincero
vens em mim pois sou de ti por inteiro

sou. sou o viver se te vejo ficar comigo na mesa ao jantar
sou. sou o querer oferecer-te qualquer lugar
sou. sou de lado nenhum sem ti
sou. sou sem magia. sou uma cama vazia
sou falta da parte do teu todo em mim

vou. vou onde não saiba que te perdi
vou esta noite
vou
vou inteiro
vou em ti

Cristina Brandão Lavender
All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove