Entrei decidido no escritório do meu redactor-chefe do Semanário EXPRESSO.
“Preciso de ir a Deli. Fazer uma reportagem incrível. Apareceu uma rapariga russa de 17 anos morta, melhor, assassinada, na margem do rio Rio Yamuna. Dois tiros na nuca. Execução sumária.”
E qual é o interesse dessa história? Queres ganhar umas férias, é?
“Espionagem e tráfico de carne humana. Recebi uma carta de uma colega que não se identifica. Atirou com a carta para cima da secretária do chefe.”
Achas que tenho tempo para ler isto? Achas que não tenho mais nada que fazer? 
“Se não leres, se não pegares neste assunto, mando imediatamente uma cópia PDF para a RTP e perdes a oportunidade de ganhar o prémio Pulitzer 2013.”
Tás muito engraçadinho, hoje. Tás mesmo. Agora desanda; vai trabalhar Yuri. 
“É a tua última palavra?”
É.
Peguei na carta sem lhe dar oportunidade de a começar a ler e saí. Precisava de apanhar ar. Decidir o que fazer. Esperei uns segundos apenas.
“Entro de férias neste momento. Deves-mas há três anos. Se me quiseres despedir ainda melhor. Fui. “ – bati a porta com estrondo. “Grandessíssimo anormal.”
“Tenho de ir urgentemente para encontrar esta rapariga. Isso é indiscutível. Andei de carro às voltas pela baixa de Lisboa, como um louco, a matutar no que fazer. Devo estar maluco. E se não passa de um embuste?
Vou seguir ou não o que ela me sugere?
Virei para o aeroporto.
Nem vou a casa avisar os armários. Entretanto a caminho do aeroporto, encostei em Monsanto, peguei no meu portátil e no meu Tablet. Google: Voos low cost para Deli. Voos Lisboa-Delhi 278€ – Voos-Lisboa-Delhi.eDreams.pt‎ Entrei em booking. hoje não. ok -. amanhã sim um lugar- seguinte: reservar. visto não tenho; preciso de uma carta do jornal carimbada como missão urgente; tenho que voltar à redacção e arranjar uma; meter nº de passaporte, motivo da viagem, pagar cartão visa; gravar o ficheiro para imprimir depois.
Afinal posso ir a casa. Pensar bem nisto. Mando de lá uma mensagem no facebook  que a carta me sugere como contacto – Aryann Solar. Mandei a mensagem em russo: “chegarei aeroporto de Deli depois de amanhã às 02:30 Chegarei com lenço cor de vinho, com cornucópias, atado para trás, na cabeça. Por favor diga-me como a reconhecer. Yuri”
Fui à redacção. Pedi ao Pedro Meireles que me imprimisse uma autorização para a viagem, carimbada e assinada pelo chefe.
Estás louco?
 “Estou. Arranjas ou não arranjas?”
 Espera. 
Sentei-me de costas voltadas para a redacção. Ninguém me via. Pedro voltou com uma folha assinada em branco. Imprimiu e carimbou.
Estamos pagos. 
A filha de Putim foi assassinada na Índia. O corpo encontrado sem órgãos. A minha cama virou um deserto.


CRISTINA BRANDÃO LAVENDER
All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove